Algumas famílias já reconheceram os corpos das vitimas do Lizha so Festas


Uma das cinco vítimas da tragédia na “Lizha Só Festas” deu entrada no Hospital Central de Maputo como desconhecida, mas ontem foi reconhecida pela família.
Trata-se de Guimarães Choga, que partiu de casa para trabalhar no Aqua Park, mas não voltou com vida. A notícia sobre o infortúnio chegou aos ouvidos da família pelas redes sociais.
A família, que não tinha informações consistentes sobre o que acontecera, soube, por via pessoas próximas e dos órgãos de comunicação social, que as celebrações de 1 de Junho na cidade de Maputo transformaram-se num dia para esquecer. Houve mortos e feridos.

A referida família procurou pelo paradeiro do seu parente que se despediu no sábado dizendo que ia a trabalhar e não voltou mais para casa.
Guimarães Choga entrava na estatística, era mais uma vítima identificada daquilo que seria festa da criança e transformou-se em tragédia. Hoje a família está inconsolável e chora a morte do seu parente.
A filha da vítima conta a reportagem de “O País” que “não sei o que aconteceu, meu pai saiu de casa e disse que ia ao serviço mas não chegou. Tentamos ligar para ele e telefone não chamava, procuramos em todos hospitais, chegamos aqui disseram que morreu”.
O irmão da vítima também soube da morte do seu parente através da ligação telefónica da cunhada que “ligou para mim e disse-me que o número do meu irmão não estava a chamar. Ligamos entre nós e viemos descobrir o corpo no hospital.
Membros do governo da Cidade e Conselho Autárquico de Maputo estiveram no local para juntos com a polícia perceber as razoes da tragedia.

Publicar um comentário