Problemas: Legisperito sul africano concluiu que o pedido de extradição para Moçambique tem menos peso do que o dos EUA



Um especialista em direito sul africano criticou a  última decisão feita pelo ministro da justiça sul africano Michael Masutha em extraditar Manuel Chang para a sua terra natal Moçambique.

Para Thomasausen o argumento de que Chang deve ir a moçambique por este ter nacionalidade Moçambicana, é vago.


O jurista considera que o ministro da justiça sul africano ignorou critérios de peso no julgamento dos dois pedidos de extradição.

Segundo a DW, Thomashausen recorda que "nos EUA Manuel Chang é arguido, é réu, enquanto em Moçambique nunca foi réu e não é arguido, é simplesmente procurado para ser questionado, uma coisa completamente diferente de ser arguido. Ainda para mais, em Moçambique a sua imunidade parlamentar como deputado nunca foi levantada."

Publicar um comentário