Jurista sul africano diz que Nos EUA Manuel Chang é arguido, e é réu, enquanto em Moçambique nunca foi réu e não é arguido, é simplesmente procurado para ser questionado




A escolha da extradição de Chang para a sua terra natal faz com que o académico sul africano  Thomashausen questione: "Estranha-se, realmente que o Ministério da Justiça [da África do Sul] tenha tomado essa decisão."


Ele também recorda, citado pela DW, que "nos EUA Manuel Chang é arguido, é réu, enquanto em Moçambique nunca foi réu e não é arguido, é simplesmente procurado para ser questionado, uma coisa completamente diferente de ser arguido. Ainda para mais, em Moçambique a sua imunidade parlamentar como deputado nunca foi levantada."

Ele considera que os motivos apresentados pela África do Sul, que supostamente fundamentam a escolha para estraditar o ex-ministro das financas para mocambique, são vagos.

Para Thomashausen os critérios do peso de cada pedido foram deixados para Trás.

Publicar um comentário