Contas do banco, de Guebuza, foram congeladas por ordem da PGR, porem, no CC, ele terá sugerido que o assunto das dívidas afecta a unidade nacional


Do Comité Central da Frelimo uma coisa ficou clara, todas as três organizações sociais, Organização da Juventude Moçambicana (OJM), Organização da Mulher Moçambicana (OMM) e a Associação dos Combatentes de Luta de Libertação Nacional (ACLLN), estão atrás de Filipe Nyusi, actual Presidente da Republica e do partido no poder, «é o homem certo para garantir uma vitória esmagadora nas eleições que se avizinham» disseram nas suas mensagens.
/script>

Tem estado a circular rumores de existência de facções no partido no poder por causa dos recentes escândalo com as dividas ocultas e do caso "Samito vs Nyusi".

Fala-se, principalmente, da existência na Frelimo dum grupo "pro-Guebuza" e a outro grupo "pro-Nyusi". 

Vale lembrar que próprio filho de Guebuza disse, quando foi detido, que a sua prisão na verdade tratava-se de perseguição politica por "alguém que quer ganhar eleições em Outubro"


Todavia, segundo fontes citadas por Savana, no ultimo CC da frelimo, Guebuza pediu a palavra para apelar à unidade [no partido] sugerindo que o assunto das dívidas afecta a unidade nacional. 

De acordo com o Savana, numa tirada que revoltou alguns dos seus velhos companheiros, Guebuza argumentou que o seu cargo à frente dos destinos da nação derivava de eleição popular e que não tinha que dar justificações dos seus actos. Tentando passar da defesa ao ataque, falou em ambiente de “caça às bruxas”. Segundo testemunhas, era um Guebuza manifestamente derrotado. Falou, mas ninguém aplaudiu. 

Segundo o Savana, o ex-Presidente da Republica pelou à unidade e disse que o partido estava “muito dividido”. Não utilizou a palavra “perdão”, mas admitiu que naquela posição (Presidência da República) cometem-se erros, mas o objectivo é fazer “o bem para o povo”

Publicar um comentário