Passaram hoje os 15 dias que foram dados aos Advogados de Manuel Chang para recorrer a decisão no tribunal

Chang tinha 15 dias para  recorrer e hoje é o último  

O tribunal sul-africano determinou no passado dia 8 que o ex-ministro das Finanças moçambicano, Manuel Chang, é extraditavel tanto para os EUA como para Moçambique, onde foi indiciado por alegações ligadas a um escândalo de empréstimo de US $ 2 bilhões.

A decisão final sobre a qual país ele será entregue deve ser feita pelo Ministério da Justiça da África do Sul, disse o magistrado William Schutte em uma decisão no Tribunal de Magistrados de Kempton Park, perto de Johanesburgo.


Shutte deu cerca de 15 dias a Chang para recorrer caso não concorde com a decisão do tribunal, e acontece que hoje, dia 23 é exactamente o décimo quinto dia, ou seja o ultimo dia daquele prazo. Depois de hoje, o caso segue para o Ministro da Justiça

Embora Chang não tenha respondido a nenhuma das alegações, ele contestou o pedido de extradição dos EUA e disse estar preparado para enfrentar um julgamento em Moçambique.


Chang serviu como ministro das Finanças quando Moçambique assumiu US $ 2 bilhões de dívida externa em 2013 e 2014 para financiar uma frota de barcos de pesca de atum e um projeto de vigilância marítima. Ele assinou documentos em nome do governo de Moçambique para garantir as dívidas se os projetos não compensassem, de acordo com a acusação dos EUA.

Dentro dos 15 dias, Chang devia recorrer das decisões, antes que o tribunal as submete-se ao Ministério da Justiça da África do Sul. Ele também tinha o direito de solicitar uma revisão da decisão do Ministério pelo Supremo Tribunal e pelo Tribunal Constitucional, J.J. du Toit, vice-diretor de promotores públicos da África do Sul, disse em uma entrevista no tribunal.

Publicar um comentário