“Juiz das dívidas ocultas” foi despromovido do seu cargo - Red Foxes
Dividas ocultas Juiz Noticias Politica
“Juiz das dívidas ocultas” foi despromovido do seu cargo

“Juiz das dívidas ocultas” foi despromovido do seu cargo

Dividas ocultas Juiz Noticias Politica

Descrição

Chama-se Délio Miguel Pereira Portugal, o jovem juiz que se destacou na Secção de Instrução Criminal do Tribunal Judicial da Cidade de Maputo e que passa agora para a Secção Laboral do Tribunal Judicial da Província de Maputo.

A ordem de transferência é, ao mesmo tempo, promoção e despromoção. Promoção porque Délio Portugal vai presidir o Tribunal do Trabalho da Província de Maputo, mas despromoção porque já não será o “super-juiz” que dirige a instrução criminal dos casos de grande corrupção que chegam ao Tribunal Judicial da capital.
Dos casos que chegaram às suas mãos, destaque vai para o das “dívidas ocultas” e do Instituto Nacional de Segurança Social (INSS). No primeiro caso, Délio Portugal tinha em mãos a legalização da prisão dos 10 arguidos detidos no âmbito do processo que investiga o maior escândalo financeiro de que há memória no país.

Feitos os interrogatórios, o juiz de instrução criminal decidiu manter em prisão preventiva nove arguidos, com destaque para Gregório Leão, o antigo director-geral dos serviços secretos, António Carlos do Rosário, o ex-PCA das três empresas envolvidas nas dívidas ocultas, e Armando Ndambi Guebuza, o filho do antigo Presidente da República, Armando Guebuza.
Já na semana passada, Délio Portugal esteve num frente-a-frente com Helena Taipo, a antiga ministra do Trabalho indiciada de receber cerca de 100 milhões de meticais desviados do INSS. Mais um caso de grande corrupção. Depois do interrogatório, o juiz decidiu manter a prisão preventiva de Helena Taipo, a antiga governante que também foi, por poucos meses, embaixadora de Moçambique em Angola.

Depois de dirigir a instrução criminal dos processos mais mediáticos de grande corrupção e de manter a prisão de antigos dirigentes públicos, Délio Portugal deixa o Tribunal Judicial da Cidade de Maputo e passa para Matola, onde vai presidir a Secção Laboral do Tribunal Judicial da Província de Maputo.
Ou seja, de juiz de instrução criminal na capital, Délio Portugal passa agora a se ocupar de conflitos laborais.
Ao todo, foram quatro juízes movimentados na última semana pelo Conselho Superior da Magistratura Judicial: Luís de Deus Malauene, o juiz desembargador que deixa a 1ª secção de recurso do Tribunal Judicial da Cidade de Maputo para ser juiz presidente do Tribunal Judicial da Província de Inhambane; Erzelina Manjate, a juíza que sai da 1º secção do Tribunal Judicial da Província de Cabo Delgado para ser juíza presidente do Tribunal Judicial da Cidade de Maputo; e José Sebastião Domingos promovido para juiz presidente do Tribunal Judicial da Província de Cabo Delgado.


0 comentario:

Escreve seu comentario