Encotradas duas malas com 250 mil dolares, 6 milhões de euros e 5 milhões de libras na casa do Presidente da República do Sudão deposto



As autoridades sudanesas anunciaram ontem ter descoberto na antiga residência oficial do ex-Presidente Omar al-Bashir duas malas de viagem contendo uma enorme quantidade de dinheiro em moeda nacional e estrangeira.

A Reuters avança que foram encontradas nas duas malas 350 mil dólares, seis milhões de euros e cinco milhões de libras sudanesas, o que abriu caminho a uma investigação sobre “lavagem de dinheiro”.
A descoberta dessas malas levanta ainda a possibilidade de Omar al-Bashir, depois de ser destituído e durante as 48 horas que esteve em prisão domiciliária, ter pensado fugir do país.
Actualmente detido na penitenciária de Kobar, arredores de Cartum, Omar al-Bashir terá agora que explicar a proveniência do dinheiro. 
A Reuters anunciou também ontem a detenção, em Cartum, de dois irmãos do ex-Presidente que estão a ser investigados por suspeita de cumplicidade na prática de crimes de corrupção e “lavagem de dinheiro”, relacionada com as duas malas cheias de dinheiro encontradas na residência de Omar al-Bashir.

A Associação dos Profissionais do Sudão, que tem liderado as manifestações, adiou, entretanto, o anúncio previsto para ontem de um Conselho Civil de Transição.
Na sexta-feira, um porta-voz desta associação havia prometido à imprensa o anúncio para o dia seguinte da “nova equipa” que iria assumir o poder das mãos do Conselho Militar de Transição que depôs Omar al-Bashir.
O adiamento desse anúncio deixa perceber algumas dificuldades em articular uma estratégia que crie o consenso necessário entre as forças civis para reivindicarem o poder que se encontra nas mãos dos militares.

Há cerca de uma semana, Omar al-Bashir foi deposto e posteriormente detido na sequência de um golpe de Estado militar que colocou fim a quase 30 anos de uma governação marcada por grandes polémicas e manchada pelo conflito de Darfur, que mereceu um mandado de captura emitido pelo Tribunal Penal Internacional contra o antigo Presidente do Sudão. 

Publicar um comentário